quarta-feira, 17 de junho de 2009

Goleiro de futebol

Desenho tirado do site "caçador de talentos"

Responda rápido! Devagar também dá!

Qual foi o último grande negócio comercial no Futebol mundial envolvendo um goleiro?

Ta difícil de responder? Não se preocupe... não me recordo de nenhum também. Os grandes negócios comerciais do mundo futebolístico mundial sempre giram em torno dos atacantes.

O que isso tem a ver com confeitaria? Calma..... já vou chegar lá.

Quantos chutes a gol um grande e milionário atacante faz durante um jogo? Não importando a quantidade, quantos balançam as redes?

O raciocínio é fácil. Não importa quantos chutes o atacante dê; as bolas não entram todas no gol por que há um cara preparado para dar tudo de si e fazer uma coisa que ama e para a qual ele é pago: pegar as bolas. Esse é o goleiro.

Se o atacante chuta 10 vezes ao gol e o goleiro pega nove; de quem foi o aproveitamento melhor na partida?

No final do jogo, o time vencedor fica feliz com seu ou seus atacantes que fizeram gols, mas não falam do goleiro que não deixou a bolas do adversário entrarem.

Porque então poucos falam dos goleiros? Porque eles só são lembrados quando pegam penalts em final de campeonato? Não fizeram nada antes disso? Não é verdade que se o goleiro não pegar as bolas durante o campeonato todo, o time não estará lá na final para que ele pegue os penalts?

Entenderam? Não? Pensem de novo e comecem a perceber que na gastronomia é a mesma coisa.

Apesar de os confeiteiros fazerem muito por um negócio, seja ele um restaurante, bufê, hotel etc, o cozinheiro é que sempre leva a fama.

Já trabalhei muito em vários lugares e me lembro que eu era um dos primeiros a chegar e o ultimo a sair. Como as preparações de confeitaria demoram mais para serem feitas e existe um “vácuo” entre sentar à mesa e pedir a sobremesa, eu ajudava nas cozinhas na hora do serviço (soltar prato, botar molho etc). Ao final do último prato os cozinheiros limpavam suas praças e se mandavam, me deixando sozinho para fazer minha parte.

Poucos cozinheiros se preocupam com os confeiteiros, mas reclamam se algo não estiver de acordo. Se o atacante faz o gol, parabéns... ele é o cara. Se não fizer..... foi falta de sorte. Se o goleiro pega a bola não fez mais do que a sua obrigação; mas se não... é frangueiro!!! Entenderam?

Já falei mais de uma vez por aqui, uma coisa que aprendi com o tempo e a experiência: se a sobremesa não foi boa o cliente vai xingar o jantar todo e se for boa vai enaltecer tudo e todos. Há espaço para todo mundo no mercado, mas ego é uma merda.

Para que dividir as realizações com todos da equipe, incluindo o carinha que só sabe fazer bolo e musse? Essa é a visão de quem não conhece a fundo o árduo, cansativo, demorado e preciso trabalho de um confeiteiro. É o mesmo com os goleiros. Ou vocês ainda acham que ele só fica lá no gol e não faz mais nada?

Comecem a reparar que existem muito menos confeiteiros do que cozinheiros. A nossa profissão não é fácil e requer muita dedicação, amor e renúncias que poucos suportam ou querem agüentar. Quem se habilita?

Só para abrir mais a discussão eu também posso falar de mais um goleiro ou confeiteiro das profissões...... o anestesista. O cara estudou medicina a fundo para manter o paciente vivo, as vezes por mais de 12 horas em uma sala de operações sem sentir dor e em perfeito estado. Quando a cirurgia é de transplante de coração então, aí é que coisa pega; já pensaram?

A idéia desse post é mostrar que existem muitas profissões importantes e vitais, mas que são deixadas de lado ou menos respeitadas. No final a historia é a mesma: trabalhamos para a alegria dos clientes e não para nossos egos. Porém a justiça deve ser feita e todos merecem receber o respeito proporcional à sua dedicação e contribuição.

Abraços e até a próxima.

13 comentários:

Ricardo Reno disse...

Salve Flavio,

A vida é assim mesmo, todo mundo é igual mas alguns são mais iguais que outros. Sempre que como algo tento imaginar o trabalho que deu e o que precisou ser feito para a comida ou sobremesa chegassem ali perfeitas.Quem algum dia tentou fazer algo na cozinha minimamente decente sabe o trabalho e o conhecimento que são necessários. Eu já tentei muitas vezes, e gosto, mas fazer doce é difícil.
Tenha certeza que considero o seu trabalho bem importante.

Abraços

Flavio Federico disse...

Olá Ricardo; obrigado pela consideração.

Seria muito bom todos pensassem assim.

Acho que estamos no caminho certo e se tivermos calma, em poucos anos as pessoas estarão entendendo mais e mais sobre a gastronomia.

Confeitaria não é mole não e quem já tentou fazer qualquer coisinha, por mais simples que seja já percebeu o trabalho que temos.

abraços

JB disse...

Chef,
Confeitaria é ciência mais exata da gastronomia e é uma pena que não valorizemos isso no Brasil.
Passei ontem na Sódoces e adorei um tartelete de banana, café e gianduia. E também o bolo de chocolate belga com morangos.
Abração!

p.s. - você me deve um texto!

Ricardo Reno disse...

Julinho,

Experimente o indecente bolo de limão.

Abraços

Flavio Federico disse...

Fala JB.

O bolo é um brigadeiro comum com pedaços de morangos frescos.... tá na época e é bem brasileiro.

Essa torta de bananas sempre foi uma das minhas preferidas.

Valeu.

Ricardo:

O bolo de limão Siciliano é feito com o limão inteiro: casca, bagaço e suco. Tem muita personalidade.

Acho que você vai gostar de um novo de fubá com pedaços de goiabada cascão; afinal de contas as festas Juninas estão aí.

Abraços

Ricardo Reno disse...

Flavio,

Vou experimentar com café, bolo de fubá e café tem tudo a ver.

Preciso comprar chocolate para experimentar os dois tipos de meio amargo de uma receita de chocolate quente que li no livro do Jeffrey Steingarten. Já fiz com o Lindt 70% e estou curioso para experimentar com o Lajedo. A receita é a seguinte:

2.1/4 xícara de leite integral
1/4 xícara de água
1/4 xícara de açucar
1/4 xícara de cacau em pó. Uso Valrhona, existem outros melhores?
Uma barra de cem gramas de chocolate meio amargo picado.

Ferver o leite a água e o açucar. Baixar o fogo e acrescentar o cacau e o chocolate picado até dissolver. Bater trinta segundos no liquidificador. Porção 4 canecas.

Se tiver alguma dica para variar ou incrementar será muito bem vinda.


Abraços

Flavio Federico disse...

Ricardo:

Bolo de fubá com café tem tudo a ver mesmo. Outro dia trouxe um para casa e não durou nem o jornal Nacional.

Este chocolate quente deve ser bom mesmo. Quanto maior a quantidade de cacau do chocolate, mais denso ele vai ficar.

Se você usar um chocolate de origem como o Lajedo, acho que não vale a pena adicionar mais nada para não atrapalhar o sabor.

O cacau em pó da Valrhona é excelente. Também dá para usar o orgânico da Callebaut.

Se você for usar um chocolate sem origem controlada, pode sempre pensar em adicionar mais algum sabor. Que tal, antes de misturar tudo e bater, você fazer uma infusão com cardamomo ou pimenta, ou outra especiaria. Coe e depois prepare a receita final.

Não esqueça de usar leite integral, pois a quantidade de gordura é importante na textura final também.

Boa sorte e divirta-se muito.

Abs

Ricardo Reno disse...

Flávio,

Obrigado pela dica.

Abraços

jb disse...

flavião,
acho que o último reclame com goleiro que vi foi aquele de cueca do leão!
abração!

Joelma disse...

Chef Flávio,
O seu gol foi certeiro! Há muito, muito trabalho a ser feito para até que Chefs Confeiteiros recebam o reconhecimento merecido dentro e fora da cozinha. Eu conheco alguns Chefs de Cozinha que ficariam apavorados diante da necessidade de enfrentar o desafio de uma Torta Merengue de Limao. Parabéns. Joelma

Flavio Federico disse...

Pois é Joelma; a vida é assim.

Já ví cozinheiro chorar para fazer coisa mais simples ainda.

Não tenho nada contra eles; aliás, tenho muitos amigos cozinheiros. Só que como eu disse: Cada um na sua especialidade.

Vamos em frente na luta pelo reconhecimento verdadeiro.

abs

Amanda Selbach disse...

Bravo!!!!!
Essa lamentaçao que nos confeiteiros temos quanto aos chefs de cozinha é historica! por isso é tao satisfatorio trabalhar em boutique. Compra quem é realmente apaixonado por doce e tem prazer em experimentar sabores diferentes.
Adoro blogs de pâtisserie mas profissionais da area nao costumam ter um, a maioria vem de pessoas apaixonadas por isso, que fazem experimentos em casa.
Adorei ver um Chef de verdade escrevendo, passando dicas! Parabens!
Abraços,
Amanda

Flavio Federico disse...

Obrigado pelos seus comentários Amanda.

Poucos tem amor de verdade pela profissão. O mais fácil é sempre reclamar e não fazer nada para mudar.

Temos que nos unir e fortalecer a arte que fazemos, pois é muito cômodo nos deixar de lado para não ofuscar o trabalho dos cozinheiros.

abs e sucesso